Como são as aulas de Aikido

Um ponto muito importante: o treinamento do Aikido é cooperativo e não competitivo.

As técnicas são aprendidas através do treino com um parceiro, ele não é um adversário. É preciso sempre adequar a velocidade, a energia e a potência da técnica às habilidades do parceiro, que está lhe emprestando o corpo para você praticar.

A prática do Aikido começa no momento da entrada no dojo.

Os praticantes devem observar a etiqueta o tempo todo. É adequado fazer a reverência ao entrar e sair do dojo/academia e ao entrar e sair do tatame.

Cerca de 5 minutos antes do início da aula, os praticantes devem alinhar-se e sentar-se, quietos, em seiza (ajoelhados).

A única maneira de progredir no Aikido é através do treinamento regular e contínuo. A frequência não é obrigatória, mas, para haver evolução no Aikido, é preciso praticar pelo menos duas vezes por semana. Além disso, já que o Aikido propicia meios de cultivar a autodisciplina, esta começa com a frequência regular.

O seu treinamento é de sua própria responsabilidade. Ninguém vai pegá-lo (a) pela mão e levá-lo (a) à proficiência no Aikido. Não é responsabilidade do instrutor ou de qualquer companheiro graduado verificar se você está aprendendo. Faz parte do treinamento aprender a efetivamente observar. Portanto, antes de pedir ajuda, tente aprender a técnica por si mesmo (a), por meio da observação dos companheiros.

O treinamento no Aikido engloba mais do que técnicas. Inclui a observação e modificação dos padrões físicos e psicológicos de pensamento e comportamento. O comprometimento de cada um em aprender, em se auto aperfeiçoar faz parte da essência do treinamento.

Em especial, deve-se prestar atenção à maneira com que se reage aos variados tipos de circunstâncias. Assim, o cultivo da (auto) consciência é parte do treinamento.

O treinamento pode, às vezes, ser frustrante.

Aprender a lidar com essa frustração também é parte do Aikido. Os praticantes precisam se auto-observar para determinar a raiz de sua frustração e insatisfação com seu progresso. A causa pode ser uma tendência de se comparar demais com os outros, colegas, o que não deixa de ser um tipo de competição. E bom admirar o talento do próximo e esforçar-se para igualá-lo, mas é necessário cuidado para que as comparações não suscitem ressentimentos ou autocríticas exageradas.

Se você se sentir muito cansado (a) ou se machucar, pode, após fazer uma reverência, parar temporariamente o seu o treino, retornando quando sentir-se capacitado. Se for necessário deixar o tatame, peça permissão ao instrutor.