Exames de graduação

Exames de graduação

Estamos vinculados à Fundação AIKIKAI – Hombu Dojo – Academia Central de Tóquio (Japão) através do Brazil Aikikai

Antiguidade, graduação e idade são fatores de muita importância no relacionamento no dojo.

A mais alta graduação, é a do instrutor-chefe, depois a do instrutor responsável pela turma, depois a do praticante de maior graduação e, dentro da mesma faixa, a do mais antigo de dojo e de idade.

Procure ajudar os colegas do dojo, se possível até profissionalmente, lembrando-se que é uma pessoa com quem temos mais laços que a maioria dos conhecidos. Porte-se com respeito, dignidade e honestidade porque isso valoriza você aos olhos de quem lhe vê.

Resguardado o respeito à liberdade de cada academia, os membros inscritos em nossas associações ou clubes filiados podem transferir-se conservando suas posições na classe ou grau a que pertencem. Para isso, basta comunicarem a sua associação (ou diretamente ao instrutor) a decisão de assim fazê-lo.

Poderão ser instrutores os aikidoístas portadores de faixa preta.

Para se responsabilizar por uma turma, deve-se ter no mínimo o primeiro grau de faixa preta homologado pela FIA.

Os instrutores de AIKIDO devem ser pessoas altamente qualificadas seguindo a tradição e instruções da Fundação Aikikai e da FIA.

O processo decisório é participativo. Porém, tomada a decisão e sacramentada pelo superior, ficam todos incumbidos da sua execução.

As graduações de AIKIDO do nosso grupo são divididas em classes (kyu) e graus (dan) de acordo com a sequência:

---------------
Graduação
---------------

  • Iniciante/Principiante

  • 8º kyu

  • 7º kyu

  • 6º kyu

  • 5º kyu

  • 4º kyu

  • 3º kyu

  • 2º kyu

  • 1º kyu

  • 1º Dan em diante.

Exames

Existem três modos de promoção de faixa:

  • Por exame: compreende provas prática e oral;

  • Por recomendação: para pessoas que contribuíram, por mérito, de maneira relevante e significativa para o AIKIDO, de acordo com os critérios estabelecidos no Regulamento de *Concessão de Graus da Fundação Aikikai, Tóquio; e

  • Misto: combinação de exame e recomendação; uma forma suplementando a outra.

Os exames serão realizados pelos menos duas vezes por ano, conforme o calendário; não há exceções, isto é, não há exames especiais.

Os exames não são obrigatórios.

O pretendente deverá se inscrever no concurso de promoção, colhendo o visto de seu instrutor na ficha de inscrição.

Os diplomas ou certificados são emitidos pela Associação e/ou Fundação Aikikai, e de acordo com cada caso.

O instrutor e/ou aluno deverão observar o pré-requisito de número mínimo de aulas necessário para cada grau. Os graus serão conquistados um a um, sem saltos, inclusive os graus de menores de 16 anos que obedecem à outra classificação.

Não haverá exame ou outorga de faixa preta para menores de 18 anos.

Todo pagamento referente a exames ou seminários deverá ser feito em banco e dentro dos prazos. Não serão recebidos recibos ou fichas de inscrição fora do prazo.

Faça sua inscrição e pagamento com antecedência.

Seja inteligente: envie pelo correio ou entregue diretamente os documentos ao organizador do seminário. Não transfira problemas para seu instrutor, coopere com ele e tome a iniciativa. Afinal, o maior interessado é você. Envie diretamente a ficha, após colher o visto do instrutor.

O seminário e/ou exame é de caráter privado, fechado ao público.

Portanto não será permitida a presença de pessoas não inscritas no local do seminário. Não convide e nem traga parentes, acompanhantes, cônjuge, companheira (o), namorada (o), filho (a)s, crianças, amigo (a)s, colegas, etc.

Os examinandos (toris e ukês) deverão comparecer com antecedência e confirmar suas participações nas avaliações.

Banca Examinadora

A Banca Examinadora é presidida pelo Prof. Santos, shishō*, faixa preta 5o. Dan, AIKIKAI, cabendo a ele, também, o voto de qualidade.

Todos os faixas pretas em atividade, devidamente registrados na FIA, AIKIKAI, independente de serem instrutores ou terem alunos participando do exame, poderão, se convidados pelo Presidente, fazer parte de Bancas Examinadoras.

A Banca tem liberdade para pedir que o candidato execute técnicas adicionais ou que repita outras demonstradas anteriormente. Também poderá efetuar perguntas sobre a história do AIKIDO de modo a testar o nível de conhecimento do (a) candidato (a). Fica a critério da Banca exigir monografia sobre determinado tópico do AIKIDO.

As dúvidas deverão ser levadas ao instrutor e depois à coordenação do Seminário, que poderá submetê-las à Banca Examinadora.

Os membros da Banca darão menções, individualmente, para cada técnica efetuada pelo candidato. Essas menções deverão ser levadas em conta pelos membros da Banca, para a apuração, por consenso ou maioria simples, do conceito final de aprovado ou reprovado, que passará a ser decisão grupal. No caso de dúvida, cabe ao Presidente da Banca o voto de qualidade.

A Banca pode recusar-se a realizar o exame de qualquer candidato.

A Banca Examinadora é soberana em suas decisões. Dessa forma, não caberá recurso contra qualquer decisão dela.

Quaisquer outras questões serão resolvidas pela Banca examinadora.

Chamada, senha, horários, comportamento e avaliação do Aikido

As datas e horários estabelecidos deverão ser cumpridos rigorosamente pelo candidato, sob pena de ser impedido de participar das avaliações.

O candidato devera chegar cedo para responder a chamada, tomar conhecimento de quem será o uke e da ordem de entrada.

Nessa ocasião todos receberão senha de identificação para colocar no keiko-gi em local visível para a Banca.

O exame começará na hora estabelecida. Nessa hora, todos os candidatos já deverão estar sentados em seiza no tatame e posicionados em linha reta, de frente para o Kamizá.

Não haverá segunda chamada.

O exame começará com o cumprimento ao Kamizá, seguido de outro entre o instrutor e os alunos. Nesse momento o Presidente da Banca declarara aberto o exame.

Os faixas pretas não poderão atuar como uke em exame de grau de kyu.

O candidato tem que ter em mente que os membros da Banca conhecem os detalhes de cada técnica e distinguem muito bem quando e bem realizada ou realizada de forma errada ou artificial.

Os keikogis (quimonos) do uke e do nage (examinando e parceiro) deverão estar limpos e bem amarrados.

O hakamá (quando for o caso) devera estar bem preso a cintura e a calca do quimono não poderá aparecer por baixo dele.

O examinando e os parceiros, portanto, deverão se apresentar com aspecto corporal impecável.

Os aquecimentos serão feitos antes do exame, de preferência individualmente, a vontade de cada um.

O examinando que for prestar exame que exija o uso de armas, devera se apresentar levando na mão direita o jô (bastão), o bokken (espada de madeira) e o tantô (faca de madeira).

Depois de entrar no tatame, o examinando repousara as armas na borda direita do tatame (de frente para Banca).

A Banca chamara o candidato e seu uke por seus números. Ao ser chamado, o candidato respondera e andara para o centro do tatame, com seu uke. O candidato e seu uke sentar-se-ão de frente para o Kamizá. O uke ficara a esquerda do nage e os dois farão a saudação sem esperar que a Banca peca.

A seguir ficarão um de frente para o outro e repetirão a saudação. Apos isso, ficarão de pé para o início das técnicas.

Concluído o exame, o candidato e seu uke sentar-se-ão um de frente para o outro e efetuarão a saudação, entre si. Depois, de frente para o Kamizá, farão a segunda saudação. Feito isso, ficarão de pé, recuando alguns passos de modo a não dar as costas bruscamente para a Banca. Virar-se-ão e retornarão aos seus lugares.

Os candidatos e os ukês deverão permanecer no dojo ate a conclusão dos exames, a não ser que a organização do exame determine algo diferente.

Não haverá explicações de nomes de técnicas porque conhecê-los faz parte da avaliação.

Enquanto não for pedida nova técnica, o examinando continuara a executar a mesma técnica. Assim, não e admitido ficar parado aguardando, a não ser que o orador da Banca determine a paralisação e a espera.

Durante a avaliação. o examinando manterá boa postura (shishei) e a guarda correta (kamaê). A expressão, corporal e facial, ha de ser tranquila sem revelar insegurança, nervosismo, medo ou cansaço. Coluna ereta, postura natural e firme.

O ritmo da ação deve ser em crescente, desde o princípio ate o fim, mantendo-se 75% da capacidade física em todo o momento. Isso só será possível se o praticante tiver levado a sério sua preparação física meses antes do exame.

O ritmo especifico de cada técnica deve ser uniforme, sem precipitações nem devagar demais, sem tempo morto, usando velocidade adequada e precisão que corresponda a 75% de sua capacidade física total.

Quando for necessário, deve deixar bem claro o atemi, mostrando na técnica seu verdadeiro sentido e eficiência.

Nas técnicas. de controle (ikkyo, nikyo, sankyo, yonkyo, etc.) o examinando deve imobilizar com precisão e eficiência. ate que o uke sinta a necessidade de “bater”.

A atitude geral deve ser sóbria e elegante, procurando dominar o nervosismo e a fadiga, mediante o controle da respiração, que deve ser a mais imperceptível possível.

Os movimentos devem ser feitos com sinceridade tanto pelo examinando quanto por parte do uke, pois a Banca não se deixa enganar. Caso ocorra fingimento, produzira efeito ridículo e negativo para o candidato e também para o uke.

Ao realizar defesas contra armas o examinando deve ter em mente que a finalização implica, obrigatoriamente, em tirar a arma do uke. Por exemplo, no caso de tanto (faca) a arma devera ser devolvida com toda a precaução, com o fio e ponta para cima e para si, tomando a distância adequada de imediato, para evitar ataque de surpresa. No caso de jô (bastão), deve devolvê-lo verticalmente. Se for bokken (espada de madeira), segurar com as duas mãos, entregar horizontalmente com fio para si e tsuba para esquerda.

O candidato devera estar alerta (zanshin) a todo o momento. Por isso, dar as costas ao atacante durante o exame implica em reprovação.

O candidato promovido a faixa preta. somente usara a nova faixa apos ter preenchido o formulário apropriado ("application"), pago a taxa da FIA e recebido o diploma da Federação Internacional de Aikido (Tóquio).

O comportamento antes, durante e depois das avaliações também será observado.

Não serão permitidas filmagens nem fotografias durante as avaliações.

Deverão estar no local da avaliação. somente os candidatos, ukês (titulares e reservas) e a Banca Examinadora.

  • *. Shishō (師匠) é um título japonês usado para se referir a ou dirigir-se a professores ou mestres de uma arte marcial japonesa tradicional, incluindo, mas não limitado a, aos esportes de combate e instrumentos musicais. A palavra é a combinação do ideograma shi (師), que significa “professor”, e shō (匠), que significa “artesão”.