Voce conduz o seu parceiro

Liberdade e espontaneidade no movimento esférico são características básicas do aikidô. No que concerne aos movimentos de rodar e girar em torno de um eixo (Tai-sabaki), os movimentos esféricos são o alfa e o ômega do treinamento. Essa ênfase no dinamismo da esfera levou a vários e interessantes desenvolvimentos.

Por exemplo, apesar do fato de o aikidô ensinar técnicas violentas, como golpes diretos (atemi) e chaves de pulso, herdados de artes marciais antigas, a ênfase no movimento de rotação esférica dá a impressão visual de uma dança refinada, delicada e coreografada, fluindo suavemente. Além disso, muitas técnicas criam um amplo arco, como o de lançar o oponente, conduzindo-o ao chão ou seguindo seus movimentos; mesmo assim o aikidô pode ser praticado em um pequeno espaço. Isso é devido aos movimentos esféricos do aikidô, em contraste com os movimentos lineares de outras formas de artes marciais, onde as investidas diretas parar frente e para trás dão a aparência de uma violência maior, e requerem uma área maior para a prática.

Com efeito, as técnicas que originalmente eram duras e violentas foram suavizadas e refinadas pela ênfase no movimento esférico, e as que tornavam necessário um amplo espaço foram contidas numa pequena esfera. Provavelmente essa seja uma das razões pela quais o aikidô é considerado uma arte altamente sofisticada.

Deve ser imediatamente observado que os movimentos esféricos do aikidô não foram desenvolvidos com o propósito de refinar a arte ou para desenvolver uma forma de defesa passiva. O objeto explícito foi positivo e agressivo: dominar e controlar a força do oponente. O aikidô nasceu de um grande esforço em responder questões vitais como: O que eu faria se confrontado com alguém fisicamente mais forte que eu? Como posso dominar o outro sem nenhum tipo de arma? Qual é a forma mais racional de dominar o oponente sem recorrer à força bruta ou a truques psicológicos, e mantendo a integridade do budô? Em resumo, como se pode elaborar uma defesa contra alguém superior em tamanho, força e experiência? O princípio a aplicação da rotação esférica como base para o aikidô foram originados pelo Fundador Ueshiba em resposta a tais questões, e foram desenvolvidos por ele como um desafio moderno para as artes marciais tradicionais. O Fundador era mestre em várias formas de jiu-jitsu, como o das escolas de Kito e Daito, e treinava a antiga arte da espada da escola Shinkage. Insatisfeito com o que aprendera, submeteu-se ao treinamento e disciplina rigorosos e, tendo a filosofia do nen como base, advogou uma manifestação livre e espontânea do ser em movimento esférico.

O princípio de que o suave controla o inflexível e o flexível conquista o rígido, encontrado no jiu-jitsu clássico, foi herdado pelo Fundador Ueshiba na sua formulação do aikidô, mas com uma diferença fundamental. No antigo jiu-jitsu ensinava-se que “quando empurrado, puxe; quando puxado, empurre para frente”. Nos movimentos esféricos do aikidô, isso transforma-se em, “quando empurrado, gire como um pivô e circule; quando puxado, avance circulando”. Isso significa que alguém se move circularmente em resposta ao oponente, e enquanto movimenta-se esfericamente, mantém-se no próprio centro de gravidade para criar um eixo estável de movimento. Ao mesmo tempo, o centro do oponente é perturbado, e, quando ele perde seu centro, perde também todo poder. Então é rápida e decisivamente subjugado.

Na linguagem do aikidô, esse ponto se refere mais precisamente aos movimentos do corpo de virar e girar em torno do próprio eixo, conhecidos como tai-sabaki, cuja técnica é entrar ou, mais exatamente, irimi-issoku, “entrar com um único passo”, baseada no princípio de rotação esférica. Colocando-se face-a-face com um oponente na posição de hanmi, quando o oponente avança, o outro evita seu golpe entrando na abertura que está fora do campo de visão do oponente, chamada de shikaku ou ângulo morto. O ponto chave é um rápido e seguro trabalho de pés, onde o centro de gravidade da pessoa assume o controle do centro do oponente. A técnica básica envolve um golpe (atemi) no ponto desprotegido e vulnerável do oponente quando ele entra, mas nos treinos adiantados vários movimentos são executados (tais como irimi-nage, irimi-tenkan, irimi-otoshi).

Como eu já havia observado, irimi é básico para o princípio da rotação esférica, e a mais importante consideração é sempre manter o próprio centro de gravidade. Do ponto de vista do combate real, é crucial entrar com toda a força do ki para controlar o centro do oponente e dominar a situação. Qualquer hesitação no momento de entrada deve ser evitada a todo custo, quando um golpe direto está sendo desferido contra você. Existem muitos outros pontos importantes, mas como este não é um trabalho destinado a explicação detalhada de técnicas, aconselhamos manuais dedicados a elas.

Se irimi representa as características do budô manifestadas na técnica marcial, então o correto movimento corporal, tai-sabaki, simboliza as características essenciais do aikidô expressas através de movimentos que contribuem para uma harmonização com as mudanças dinâmicas. Em última análise, as técnicas de movimento corporal são baseadas na união espiritual com a ordem do cosmos e a união dinâmica com o universo em permanente mutação.

O movimento corporal no aikidô é baseado no princípio da rotação esférica. Exatamente como no caso de um corpo esférico, o centro é estável e o movimento parte desse ponto fixo. Esse movimento esférico pode controlar qualquer contra-força pelas técnicas vindas de seu centro, gracioso e contudo repleto de infinito poder. Podemos recorrer às leis físicas, tais como forças centrípetas e centrífugas, para explicar os movimentos do aikidô, mas sua beleza essencial decorre da união ki-mente-corpo. Por ser uma experiência de uma pessoa inteira e integrada, a análise objetiva não ajuda nossa compreensão, muito menos a mestria da arte.

O aluno de aikidô deve dedicar a maior parte do seu treinamento ao domínio das técnicas de rotação esférica, e através do treino constante estudar o princípio básico nelas envolvido. Em movimento, a pessoa se torna como um roda de fiar, estável no centro, jamais perdendo o equilíbrio. Mesmo que o estudante não esteja totalmente consciente disso, a união ki-mente-corpo, que é una com o universo, já foi alcançada.

--
Kishomaru Ueshiba - do livro O espirito do Aikido
tradução de J.F.Santos- Brasilia Aikido Shikanai.

11 anos 4 meses atrás