A união mente e corpo leva ao triunfo

“NEN” E A CLAREZA DA MENTE-CORPO

Ainda criança, quando aprendi que a Terra era redonda, imaginei realizar grandes aventuras. Queria ver se retornaria ao mesmo local se me movesse sempre adiante e em linha reta, dando a volta no planeta, e pensava em abrir um túnel dentro da terra e sair no lado oposto. Suponho que as crianças em todos os lugares têm tais sonhos. Hoje em dia, os jatos com passageiros circulam o globo terrestre constantemente, e podemos facilmente aparecer no outro lado da Terra.

Então, o que era meu sonho de infância tornou-se uma realidade quando fui convidado a ir à América do Sul em setembro de 1978. Era na ocasião da Celebração dos 70 anos da Imigração Japonesa no Brasil e tivemos uma calorosa recepção em São Paulo, Rio de Janeiro e Mogi das Cruzes, onde vivem muitos japoneses e são pessoas influentes na comunidade. A Câmara Municipal de São Paulo, por unanimidade, conferiu-me a distinção de cidadão honorário. Foi gratificante.

Depois da nossa visita ao Brasil, fomos para Argentina por quatro dias, e para o Uruguai por dois dias.

O entusiasmo pelo aikidô por onde quer que fôssemos ultrapassou nossa expectativas, mas um dos momentos inesquecíveis foi realizar meu sonho de criança de estar no outro lado da Terra, porque a América do Sul está do outro lado do globo terrestre em relação ao Japão, e o Uruguai está exatamente no oposto ao Japão.

Nossa visita a Montevideo nos dias 24 e 25 de setembro de 1978 foi para ser realmente lembrada com carinho, mas um outro evento igualmente comovente nos esperava. No dia que se seguiu a uma demonstração de aikidô realizada no maior auditório de Montevideo, construído para comemorar a independência do país, fomos convidados para uma demonstração na Academia Militar do Uruguai. Essa é uma escola de elite, com apenas 300 estudantes, selecionados dentre os jovens mais brilhantes do país, e no currículo repleto de cursos em ciência militar, o aikidô é um curso regular. Por quê somente o aikidô foi incluído no currículo, quando o judô e o karatê são, também, populares no país? No final da demonstração pública e da minha palestra sobre aikidô, o presidente da academia militar levantou-se e fez um discurso inspirador. Ele disse:

“Nos movimentos fluidos do aikidô há sempre um centro estável. Um sentido de equilíbrio permeia todo movimento da mão e do pé, e eles deslizam suavemente, como em uma dança, porque o movimento do corpo não é nada além do suave movimento do centro. Acredito que o ponto principal no aikidô é a realização de um centro forte e firme. O essêncial para o nosso país, que encara um mundo turbulento, é cultivar um espírito que internamente tenha um centro forte e uma benevolente forma externa. Quero que os alunos desta academia, que são destinados a se tornarem líderes do nosso país, treinem aikidô arduamente e concebam esse centro espiritual e fisicamente. Essa é a razão porque o aikidô está incluído em nosso currículo regular.”

O presidente expressou tudo que eu havia pensado. Um centro firme e forte é o que o Fundador Ueshiba constantemente chamava de unidade do ki-mente-corpo. Essa é a essência crucial do aikidô, tanto em princípio quanto em movimento efetivo. Enquanto eu estava profundamente impressionado com seu discurso, estava ainda mais determinado a realizar nossa responsabilidade como estudante do aikidô, para assegurar que esse legado seja mais facilmente acessível a todos, independente de raça ou nacionalidade. As técnicas e os ensinamentos únicos do aikidô devem estar sempre de acordo com sua essência básica. Se nos orgulhamos somente da sua excepcionalidade, e ficamos apegados a isso, podemos se vítimas de uma visão míope, de dogmatismo, presunção e provincianismo. Tendo ido ao lado oposto da terra, inesperadamente tive a oportunidade de refletir sobre o futuro do aikidô.

A essência do aikidô, a unidade do ki-mente-corpo, é para ser compreendida pela totalidade do ser. Se nós a entendemos meramente como uma realidade espiritual, podemos tornar-nos dogmáticos e cair na abstração. Se nós a vermos como um questão de técnica e habilidade física, então nos satisfazemos com uma explicação simplista dos movimentos motores. A essência engloba o espiritual e o físico, e em última análise devemos concebê-la como budô unificando o ki-mente-corpo de um ponto de vista filosófico e religioso.

O melhor modo de dominar corretamente essa essência é refletir cuidadosamente sobre as palavra do Fundador. Suas declarações podem ser um tanto difíceis na primeira leitura, mas a leitura repetida e a reflexão ajudarão a revelar os vários níveis de significado contidos nelas. A freqüente referência à palavra japonesa nen pode ser problemática, mas nós manteremos o termo original na falta de um equivalente exato em inglês. (Nen tem o significado de concentração, unifocalidade, momento de meditação.) A concepção do nen é a chave para se descobrir a essência do aikidô; na realidade, nen constitui o próprio coração do aikidô. A seguinte declaração do Fundador Ueshiba esclarece o que isso significa:

O corpo é a unificação concreta do físico e do espiritual, criado pelo universo. Ele respira a delicada essência do universo e torna-se um corpo com ela; então, o treino estende-se ao caminho da vida humana. No treino, a primeira tarefa é continuamente disciplinar o espírito, aguçar o poder do nen e unificar o corpo e a mente. Esse é o fundamento para o desenvolvimento do waza, que por sua vez se expande infinitamente através do nen.

É essencial que o waza esteja sempre de acordo com a verdade do universo. Para isso acontecer, o verdadeiro nen é necessário. Se o nen da pessoa está ligado aos desejos do ego, está incorreto. Uma vez que o treino baseado em idéias incorretas vai contra a verdade do universo, ele atrai suas próprias conseqüências trágicas e eventual destruição.

Nen nunca está relacionado com ganhar ou perder, e ele cresce tornando-se devidamente ligado ao ki do universo. Quando isso acontece, nen torna-se um poder sobrenatural que vê claramente todas as coisas no mundo, mesmo o menor movimento da mão ou do pé. A pessoa torna-se como um espelho claro refletindo todas as coisas, e uma vez estando no centro do universo, pode ver com clareza o que está fora do centro. Essa é a verdade de vencer sem lutar.

Para desenvolver os movimentos sutis do ki baseados no nen, deve-se entender que o lado esquerdo do corpo é a base da arte marcial, e o lado direito é onde o ki do universo aparece. Quando uma pessoa chega ao domínio da liberdade absoluta, o corpo torna-se leve e manifesta transformações divinas. O lado direito traz para fora poder através do esquerdo. O esquerdo torna-se um defensor e o direito, a base da técnica. Esta lei natural e espontânea da natureza deve estar baseada no centro, e uma pessoa deve manifestar o próprio ser livremente, como rotação esférica dinâmica.

--
Kishomaru Ueshiba - do livro O espirito do Aikido
tradução de J.F.Santos- Brasilia Aikido Shikanai.

10 anos 11 meses atrás