O Terceiro Doshu do Aikido

REPORTAGEM SOBRE CERIMONIA DE POSSE DO TERCEIRO DOSHU DO AIKIDO - MORITERU UESHIBA 

O dia 25 de setembro de 1999, Sábado, certamente foi o dia de eventos mais memoráveis do Aikido mundial. Tive a felicidade de ser pessoalmente convidado e gostaria de dividir com voces minhas impressões desse evento enquanto ainda se encontra fresca em minha mente. A ocasião foi a inauguração de Moriteru Ueshiba como Terceiro Doshu, filho do falecido Kisshomaru Ueshiba. Como a maioria de voces já sabe, o pai do Sensei Moriteru faleceu no dia 4 de janeiro desse ano, após ter servido por sua vez, como Doshu do Aikido desde 1969, logo em seguida à morte do Fundador.

O luxuoso Keio Plaza Hotel na agitada Shinjuku, um distrito comercial de Tóquio, foi o local marcado para a celebração. Eu cheguei ao local aproximadamente uma hora e quinze minutos antes do evento começar, com esperança de ser um dos primeiros a chegar. Para minha surpresa, várias centenas de pessoas já haviam se agregado no lobby abaixo do salão de jantar. Eu imediatamente me sintonizei para o “módulo de cumprimentos!”. A cada volta que eu dava reencontrava velhos amigos que eu simplesmente tinha que dizer olá. Eu estava atônito e ao mesmo tempo frustado porque a maioria das conversas durava apenas de alguns segundos até no máximo dois minutos.

Aproximadamente após meia hora de minha chegada, os convidados que chegaram mais cedo foram encaminhados a uma ampla sala de espera com cadeiras e mesas para relaxarem até o início da comemoração. Eu optei por esperar fora, próximo a entrada para monitorar a chegada dos convidados já que eu estava a fim de ter contato com o máximo de pessoas possível. Eu também precisava ver vários professores de fora para quem eu havia preparado algumas fotos tiradas durante o funeral do Segundo Doshu em Janeiro.

Ás 17:00hs, a multidão agora, do comitê de boas vindas, foi convidada a subir as escadas até o quarto andar, para entrar no amplo salão de jantar onde a festa iria acontecer. Eu entrei rapidamente, esperando conseguir um lugar bem colocado para colocar meu equipamento fotográfico antes de tudo começar. Isso foi um desafio difícil, pois eu praticamente tive que abrir caminho na multidão para me mover, enquanto encontrava amigo após amigo. Imagine andar num quarto do tamanho de um campo de futebol lotado de pessoas, todas agrupadas bem junto. Essa era a cena lá dentro!

Antes que eu percebesse, o anúncio do início das festividades foi feito eu me encontrava a um quarteirão do palco com minha máquina fotográfica e gravador, ainda em minha maleta. Esse é um cenário de pesadelo para um jornalista/fotógrafo, e imediatamente mudei para o “módulo pânico!”. Eu rapidamente me desculpava com quem fosse que eu estava empurrando e conversando e voei até a frente. Para chegar até onde eu queria estar, usei a técnica que aprendi com as senhoras fazendeiras da Prefeitura de Ibaragi para negociar em multidões, correndo para frente e usando meus cotovelos para frente e para trás enquanto gritava alto “Sumimassen! Sumimassen!” (Por favor! Por favor!) Após vários minutos, empurrando e abrindo caminho até o local, finalmente cheguei até a distância de 6 metros do palco. Saquei minha câmera e gravador e rapidamente tentei fixar meu acampamento. O único local onde consegui achar para meu gravador foi numa mesa, cheia de comidas e talheres. Quando eu estava colocando meu equipamento debaixo da mesa, uma senhora de meia idade muito atraente que eu não havia reconhecido, sussurrou me encorajando, “Vamos lá, Stanley!”, e eu não consegui em sorrir direito. Comecei a ficar na ponta dos meus pés e, balançando para frente e para trás, disparei a máquina, tirando foto após foto. Ao me virar para a esquerda, atingi um senhor alto e encorpado, com um olhar de bom humor em seu rosto. Por pura coincidência, me posicionei próximo ao Sensei Katsuyuki Kondo, do Dayto-Ryu Aikijujutsu, meu mentor de longo tempo e amigo!

O orador principal era o Sr. Miyazaki, da mesa de diretores da Fundação do Aikido, um administrador de longa data e apoiador do Hombu Dojo. Ele era seguido do Primeiro Ministro Toshiki Kaifu, que fez um discurso de congratulações bem longo e interessante, cheio de anedotas sobre seus primeiros anos de treinamento de Aikido. Sensei Sadateru Arikawa mais tarde me disse que o Sr. Kaifu era um membro do clube de oradores da Universidade de Waseda, e que era por isso que ele era um ótimo orador. O primeiro Ministro Kaifu foi seguido diretor do Nippon Budokan e de várias figuras políticas que também ofereceram suas congratulações.

O Embaixador da Polônia, Jerzy Pomianowski, também fez um discurso excelente em Inglês, eu entendi todas as palavras!! --- que foi traduzido palavra por palavra pelo Sensei Masaki Tani do Aikikai. Em sua fala, o embaixador descreveu a história do Aikido na Europa Oriental, um tópico de interesse especial para mim, por ser um historiador do Aikido. Ele tirou muitas gargalhadas das pessoas ao dizer que ele estava gastando mais seu tempo do que deveria treinando Aikido e negligenciando suas obrigações oficiais.

O novo Doshu que observava os procedimentos oficiais sentado com sua esposa no palco, levantou-se e leu um texto curto já preparado, enquanto os flashes das câmeras começavam a brilhar, dando um verdadeiro show de luzes! Isso foi seguido de um “Kampai undo” ou brinde oficial, que se tronou o momento mais maravilhoso da tarde. Normalmente o orador diria algumas breves palavras de louvor e conduziria a todos a um brinde. No entanto, esse cavalheiro se esqueceu de si mesmo e falou por um longo tempo. O salão, com aproximadamente 2.200 pessoas, ficou inteiro em pé, com os copos à mão, antecipando-se em tomar seus drinks no salão de jantar quente e abafado. Isso na verdade foi uma vantagem para mim, as pessoas começaram espontaneamente a gritar: “Kampai, Kampai!”, interrompendo o orador enquanto o salão todo se rompia em risos. O Doshu deu um largo sorriso e eu aproveitei essa oportunidade para apanhar uma grande careta em seus rosto em várias fotos.

Após a entrega de flores e um presente ao novo Doshu e à sua esposa, as pessoas começaram a comer e a conversar. Eu circulei o mais que pude, sempre deparando com literalmente, um bando de amigos. Vários Senseis me pediram para tirar suas fotos e tenho uma longa lista de pessoas, para quem preciso enviar as cópias. Não tentarei montar uma lista de todos os graduados do mundo do Aikido e das artes marciais que estiveram presentes naquele dia. Eu certamente deixaria de fora muitos dos nomes de peso. É suficiente dizer que era constituído do quem é quem no Aikido. Foi, de qualquer modo, um imenso prazer encontrar meu professor, Sensei Morihiro Saito e seus assistentes de Iwama, e Sensei Gaku Homma, que havia nos recebido na semana anterior em Denver - Colorado, a um continente de distância! Ìsso é o tipo de coisa que sempre acontece no mundo do Aikido!

Pessoalmente, eu senti que esse evento não foi somente para celebrar a posse oficial do novo Doshu ou de sua posição como líder. Foi sobre celebrar a família mundial do Aikido e uma confirmação das raízes da continuidade do Aikido como um fenômeno internacional. Houve uma verdadeira solidariedade que era palpável, pois as pessoas que haviam formado laços de amizade quando treinavam em sua juventude, continuavam a manter amizades atraves das décadas e agora começavam a entra em no entardecer de seus anos. Devo confessar, tenho sido parte desse processo, há trinta e sete anos tenho observado tudo isso de perto! Perdoem-me da brevidade dessa reportagem. Há muito mais sobre o que escrever, mas agora estou na porta do avião para voltar à Los Angeles.

--
Por Stanley Pranin
revista Aikido Journal
traduzido por J.F.Santos
aikidoista em Brasilia

11 anos 4 meses atrás