O Aikido de hoje -Situação Mundial

AIKIDO NOS DIAS DE HOJE : UM PONTO DE VISTA 

Traduzido pelo falecido companheiro Ubaldo Alcantara- Salvador-Bahia,

Autorizado por Stanley Pranin Sensei, transcrevemos, a seguir, a tradução de um artigo daquele mestre respeitado, publicado anteriormente no nº 107, da revista AIKIDO JOURNAL.

Numa época em que ocorre tanto isolamento e desconhecimento entre os estilos, acreditamos que esta matéria dará uma outra visão sobre o Aikido e seu desenvolvimento. " O Aikido é uma moderna arte marcial japonesa criada por Morihei Ueshiba (1883/1969). Ela é única no meio das artes marciais pela grande ênfase colocada nos princípios éticos incorporados na aplicação das suas técnicas. Embora Morihei Ueshiba estivesse ativo, por mais de 20 anos antes da 2ª Guerra, é um consenso quase que geral, que a arte se desenvolveu, em sua forma atual, nos anos posteriores ao fim da guerra. As raízes técnicas do Aikido derivam, em sua maior parte, do Daito-Ryu Aikijujutsu. Esta variedade de jujutsu é originária, por sua vez, de várias tradições mantidas pelos guerreiros do Clã Aizu. O Currículo do Daito-Ryu foi modernizado e difundido por Sokaku Takeda, a partir do final do século XIX e diz-se dele que ensinou a mais de 30.000 pessoas. Morihei Ueshiba foi um dos principais alunos de Sokaku Takeda e o seu sucesso inspirou um renascer do interesse na escola Daito. Morihei Ueshiba, também, foi muito influenciado por Onisaburo Deguchi (1871/1948) da seita religiosa Omoto. O fundador do Aikido absorveu muito dos ensinamentos Omoto e a visão de Ueshiba de um Universo em harmonia dinâmica está muito próxima dos ensinamentos daquela religião. O Aikido tem crescido constantemente em popularidade, no Japão e no Mundo, a partir dos primeiros anos da década de 50. Ueshiba, que naquela época tinha mais de 70 anos, não foi um figurante ativo na disseminação do Aikido no pós-guerra. O crédito pela rápida expansão da arte deve ser dado, primariamente, a indivíduos como Koichi Tohei, Gozo Shioda, Minoru Mochizuki, Kenji Tomiki e Kisshomaru Ueshiba. Estas figuras centrais também foram responsáveis pelo desenvolvimento dos principais estilos de Aikido de hoje. As origens de praticamente toda a escola de Aikido ativa podem ser atribuídas a algum destes professores pioneiros. Examinemos agora as cinco principais variações do Aikido, baseadas nos ensinamentos daqueles instrutores mencionados acima. Aikikai Hombu Dojo. O Hombu Dojo, como é conhecido por dezenas de milhares de praticantes em todo o Mundo, é o herdeiro direto da escola de Ueshiba do Pré-Guerra, conhecida como o Kobukan Dojo. É, sem dúvida, a maior das organizações de Aikido, com milhares de escolas filiadas através do Mundo. A principal delas é dirigida pelo Segundo Doshu (literalmente, "Líder do Caminho"), KISSHOMARU UESHIBA, terceiro filho do Fundador (atualmente, em 2004, é o Terceiro Doshu Moriteru Ueshiba, filho de Kishomaru Ueshiba que faleceu em 1999). O sucesso inicial do Aikikai e a sua rápida disseminação pelo Mundo são o resultado dos esforços de Koichi Tohei e outros shihan pioneiros do Aikikai. Tohei fez freqüentes visitas ao Hawaii e aos Estados Unidos Continental e escreveu também uma série muito popular de livros, os quais foram traduzidos para as principais línguas européias. Após a morte do Fundador em 1969, o seu filho, Kisshomaru, assumiu a liderança do Aikikai e Tohei apresentou a sua renúncia em 1974. As principais contribuições Kisshomaru Ueshiba foram na área de administração do crescimento da arte e na modificação e simplificação do currículo técnico. No estilo Aikikai, as técnicas e os métodos de ensino do Fundador foram substituídos por novas formas pedagógicas. O Aikikai retirou a ênfase no aspecto marcial das técnicas do Aikido, favorecendo, ao invés, o estudo da arte como uma disciplina para auto-aperfeiçoamento, objetivando desenvolver membros produtivos da sociedade.

Além da sua ampla base de estudantes, o Aikikai goza do apoio de várias importantes empresas e instituições políticas. Estas conexões com a elite da sociedade japonesa vem dos anos do Pré-Guerra, quando Ueshiba contava, entre os seus alunos e patrocinadores, com muitas figuras de destaque do mundo político, militar e empresarial. O Aikikai produziu também muitos dos principais shihan, os quais continuam a operar sob o seu guarda-chuva, com muitos seguidores próprios. Figuras como Shigenobu Okumura(falecido), Morihiro Saito(falecido), Sadateru Orikawa, Hiroshi Tada e Shoji Nishio, ocupam as posições mais destacadas. Ausentes desta curta lista, estão Rinjiro Shirata, Kisaburo Ozawa e Seigo Yamaguchi, os quais já se foram. A geração seguinte de instrutores inclui nomes como os de Masatake Fujita, Seishiro Endo, Seijuro Masuda, Masando Sasaki, Norihiko Ichihashi e Nobuyuki Watanabe.

A esta lista, devemos acrescentar o nome de Moriteru Ueshiba, o filho de Kisshomaru, o qual é o atual Dojo-Cho e o próximo Doshu(Nota do Tradutor :Com a morte de Kisshomaru, Moriteru foi elevado ao posto de Doshu.). Moriteru tem viajado muito como um embaixador do Aikido e também escreveu vários livros sobre a arte. Uma organização denominada Federação Internacional de Aikido (IAF) foi estabelecida pelo Aikikai em 1976, em meio a uma grande fanfarra. A IAF adotou uma estrutura complicada e piramidal e um conjunto detalhado de regulamentos. A Federação, contudo, falhou em se estabelecer como uma entidade separada do Hombu Dojo e eventualmente entrou em estagnação. Embora continue a existir no nome, jamais conseguiu poder político real. Nos anos recentes, o Aikikai adotou um posicionamento mais flexível, em termos organizacionais. Em conseqüência, um grande número de grupos independentes, os quais, por uma razão ou outra, se haviam separado do Aikikai, foram aceitos de volta após anos de isolamento. AIKIDO YOSHINKAN A segunda maior organização de Aikido, em termos do número de participantes, é geralmente considerada a do Aikido Yoshinkan. Esta escola de Aikido foi desenvolvida por Gozo Shioda (1915/1994), logo no início dos anos 50. Shioda foi um dos principais alunos de Ueshiba, nos anos do Pré-Guerra e o seu estilo se caracteriza por técnicas efetivas e próximas às do Jujutsu e por uma metodologia de ensino bem definida. Shioda publicou muitos livros sobre o Aikido Yoshinkan e viajou muito para o exterior. Da mesma forma que o Aikikai, o yoshinkan mantém excelentes conexões com os círculos empresariais e políticos, o que tem sido um fator positivo para o seu crescimento. O controle político da organização está nas mãos do seu Corpo Diretor. O principal shihan do Yoshinkan, após a morte de Shioda, é Kiyoyuki Terada. Outros mestres bem conhecidos incluem Kyochi Inoue, Takefumi Takeno, Tsutomu Chida e Hiromichi Nagano. O Yoshinkan criou a Federação Internacional de Aikido Yoshinkai(IYAF) em 1990.

Ao contrário do Aikikai, o Yoshinkan adotou uma estrutura flexível e não-hierárquica para a organização da IYAF e vem tendo sucesso em conseguir a adesão de um número crescente de dojo independentes.

SHINSHIN TOITSU AIKIDO – KI SOCIETY ShinShin Toitsu Aikido é o nome da organização estabelecida por Koichi Tohei em 1974, quando da sua separação do Aikikai. Muito conhecida como "Sociedade Ki ou Ki Society", como o nome mostra, este grupo enfatiza o conceito de Ki, como a força dinâmica do Universo.

Este princípio de Ki guia a prática das técnicas de Aikido do currículo da Ki Society. O grupo de Tohei incorpora também técnicas terapêuticas com o uso do Ki em seus ensinamentos. Tem uma grande rede de dojo no Japão e muitas filiais no exterior. É controlada centralmente pelo Dojo Central, situado em Shinjuku, próximo ao Aikikai Hombu Dojo. Tohei é o autor de muitos livros sobre o Aikido e assuntos relacionados com o Ki e é uma das figuras do Aikido mais conhecidas internacionalmente. Como foi mencionado anteriormente, o seu papel no crescimento inicial do Aikido, no Japão e no Mundo, ao tempo em que ele fazia parte do Aikikai, foi fundamental. Contudo, devido ao rancor provocado pela sua separação da organização principal, o nome de Tohei foi praticamente apagado dos anais do Aikikai e, em função disto, muitos praticantes modernos jamais ouviram sequer falar dele. AIKIDO TOMIKI Passaremos agora ao Aikido Tomiki. Os princípios e a prática do Aikido por este grupo são baseados nos ensinamentos de Kenji Tomiki (1900/1979). Tomiki foi um dos primeiros alunos de Ueshiba e um judoka de grande prestígio antes da sua introdução ao Aikido. Era também uma pessoa muito culta, graduado por uma das principais instituições japonesas de ensino , a Universidade Waseda. Tomiki tornou-se um professor em sua Universidade, logo após a Guerra e foi lá que ele começou a desenvolver as suas teorias únicas sobre o Aikido, fortemente influenciadas pela filosofia de Jigoro Kano, o fundador do Judo. Tomiki elaborou uma série de técnicas e regras que permitiam a prática do Aikido como um esporte de competição. A sua idéia era proporcionar aos estudantes um método de avaliar objetivamente o seu progresso, através da competição. Tomiki escreveu profusamente sobre as suas teorias, em uma série de livros e ensaios. Ele desenvolveu muitos grupos, no Japão e no Exterior, que incorporam a competição em seu treinamento. O sistema de Tomiki, contudo, foi veementemente rejeitado pela comunidade do Aikido em geral, a qual considerou as suas teorias como diametralmente opostas aos ensinamentos éticos do Fundador, Ueshiba. Competições locais e internacionais entre dojo de Aikido Tomiki continuam a acontecer regularmente e o grupo vem crescendo rapidamente, acompanhando o sucesso mundial do Aikido. As principais figuras do estilo hoje são Tetsuro Nariyama e Fumiaki Shishida e as decisões estão nas mãos da Diretoria da Associação de Aikido do Japão (Nihon Aikido Kyokai). AIKIDO YOSEIKAN A outra grande escola da arte se chama Aikido Yoseikan. Foi fundada por Minoru Mochizuki (N. em 1907), outro dos primeiros estudantes de Ueshiba e um vitorioso campeão de Judô. Mochizuki foi mandado, por Jigoro Kano, para estudar no Kobukan Dojo, com Ueshiba, em 1930. Além de Aikido e Judo, Mochizuki estudou Katori Shinto-Ryu e Karate. A inovação de Mochizuki foi desenvolver uma arte composta, a qual incorpora elementos de todas as escolas, nas quais ele estudou.

Como resultado, o Aikido Yoseikan possui um vasto currículo técnico, o qual exige muitos anos de aprendizado.

Mochizuki também é muito teórico na estruturação do seu sistema e escreveu muitos ensaios sobre vários assuntos relacionados com as artes marciais. Teve também um papel muito importante na difusão internacional do Aikido. É considerado a primeira pessoa a ensinar Aikido em outro país, havendo passado dois anos na França, a partir de 1951, quando ensinou Judo e Aikido. O Yoseikan tem poucos seguidores no Japão, mas muitos na Europa, principalmente na França. Tem também um grupo pequeno, mas dedicado, na América do Norte. Outros grupos de Aikido Embora a lista acima cubra os principais estilos de Aikido praticados no Mundo, existem muitos grupos independentes menores que merecem uma menção. O Aikido Tendokan, estabelecido por um ex-instrutor do Aikikai, chamado Kenji Shimizu, possui uma base forte em Tóquio e muitos seguidores na Europa, principalmente na Alemanha. Shimizu é também o co-autor de um best-seller intitulado "ZEN E AIKIDO".

Takashi Kushida, um ex-instrutor de Yoshinkan, mantem-se ativo na América do Norte, dirigindo uma organização conhecida como o Yoshokai, com muitos dojo afiliados. Também existe, o Aikido Seidokan foi estabelecido pelo falecido Rod Kobayashi, ex-membro da Ki Society e tem um grupo forte de escolas, principalmente no lado oeste dos Estados Unidos. Prof. Shizuo Imaizumi, com base na cidade de New York, e também um ex-membro do Aikikai e da Ki Society, opera um grupo conhecido como Shin Budo Kai. Existem muitas organizações independentes na Inglaterra, França, Alemanha e Escandinávia. Muitos destes grupos se recusam expressamente a se filiarem com entidades japonesas, em virtude de experiências negativas anteriores. Meu maior receio ao escrever esta matéria foi o de deixar de mencionar alguns indivíduos importantes. Com certeza que sou culpado por isto e me desculpo antecipadamente caso haja ofendido alguém. A arte cresceu tanto que é praticamente impossível nos mantermos ao par dos principais desenvolvimentos. Acredito, contudo, que é este constante desabrochar do Aikido que permitiu que as vidas de milhares de pessoas fossem tocadas de uma forma positiva e o seu envolvimento levou, por sua vez, a sempre novos e crescentes níveis de enriquecimento da arte. (STANLEY PRANIN) Nota do Tradutor –Sr. Ubaldo Alcantara Stanley Pranin-Sensei se limitou aos uchideshi de O-Sensei do Pré-Guerra, que criaram estilos. Tamura, assim como Yamada, Kobayashi, Saotome e outros, pertenceram a uma outra geração e não podem ser considerados, a rigor, Uchideshi de O-Sensei, mas do Hombu Dojo, uma vez que não viviam com O-Sensei, em regime de internato, como era o caso dos citados por Pranin e do recém-falecido, Kiyoshi Nakakura, que vivia na casa de O-Sensei, casou com a sua filha e chegou a ser cogitado, antes de Kisshomaru, para ser o herdeiro do Aikido (Doshu), uma vez que Kisshomaru, inicialmente, não parecia muito interessado no Aikido. É claro que a nova geração do Hombu Dojo teve maior acesso e contato com o Fundador e, por conseqüência, maior usufruto dos seus ensinamentos. Mas não foram alunos diretos de O-Sensei (apesar de serem considerados assim) e sim internos do Hombu Dojo e não criaram estilos. Por isto, a sua omissão. O que não invalida em nada o mérito e o grande valor de todos aqueles mestres. Meu filho, Renato Alcantara , já teve o prazer e a honra de treinar diretamente com Nobuyoshi Tamura Shihan, com Yamada Shihan e com Saotome Shihan e ficou realmente maravilhado com as suas técnicas magníficas.

O rompimento entre o falecido Doshu Kishomaru e Koichi Tohei foi uma das páginas mais dramáticas da história do Aikido e gerou repercussões negativas que se mantém até hoje. Foi realmente uma pena que aquelas duas grandes pessoas fossem incapazes de trabalhar em harmonia.

Só uma observação : não foi O-Sensei quem afastou Koichi Tohei do Aikikai. O próprio Tohei foi quem pediu o seu desligamento, enviando uma carta aberta ao Aikikai e aos instrutores no Mundo. A razão foi a incompatibilidade entre Tohei e o Doshu Kishomaru que impossibilitou o seu trabalho em conjunto. Aliás, O-Sensei só deu até o 8º Dan a Tohei. A sua promoção ao 10º Dan (único oficial do Aikikai até hoje) foi obra do Doshu Kishomaru, quando ainda conviviam. O efeito do rompimento foi cataclísmico : cerca de metade dos aikidokas da época acompanharam Tohei em seu afastamento e o Aikikai levou anos para se recuperar do conflito. Até hoje, o Aikikai se recusa a mencionar o nome de Tohei e, desta forma, muitos dos alunos atuais desconhecem o Mestre Tohei e a sua contribuição positiva para o desenvolvimento e crescimento do Aikido no mundo.

--
traduzido por Ubaldo Alcântara

10 anos 11 meses atrás