Aikido - Treinamento

O treinamento regular do AIKIDO faz surgir uma atitude de comportamento (etiqueta, cortesia) no âmbito do dojo e de sua vida.

Você aprende a educar a mente, pois a prática da arte exige organização, lealdade, disciplina, respeito mútuo, determinação e paciência, dentre outros aspectos, que serão internalizados ao longo dos anos de treinamento do AIKIDO.

E através da prática, da realização da técnica repetidamente, que se procura atingir o plano espiritual que é o verdadeiro objetivo do treino de AIKIDO.

Ao longo dos treinos você melhora seu condicionamento físico, tornando seu corpo flexível, mais resistente, mais confortável e com bom tônus muscular. Por fim, você adquire uma atitude de autodefesa.

O AIKIDO também inclui o treino com armas (faca, bastão e espada de madeira) que exercitam a postura, o correto posicionamento, a ação adequada, sem as quais você pode se encontrar em situação de morte.

Diz-se na cultura oriental que você aprende a viver quando aprende a morrer e que o exercício com armas leva à alegria de viver, ao enriquecimento espiritual. O AIKIDO exercita, então, formas corretas de agir, que exigem formas corretas de pensar, desenvolvendo através do corpo, a correta atitude mental.

Uniforme

Nossas academias adotam o padrão de uniforme da Aikikai Hombu Dojo, a sede mundial do Aikido.

É o mesmo quimono usado para Judô ou Karatê, porém, da cor branca. Apenas escolha um quimono simples, exclua o quimono trançado!

Quimonos de marcas famosas são mais caros e nem sempre agradam a todos. Escolha um que lhe seja confortável.

 
Para quem não é faixa preta:
Mudansha-gi ou Keiko-gi (também conhecido como quimono).

É composto por 3 peças:

Casaco branco // calça branca // faixa.

Para quem vai fazer suas primeiras aulas, não é obrigatório usar um uniforme específico para Aikido. Pode usar, por exemplo, um uniforme de Judo ou Karatê, desde que seja branco, limpo, sem danos e faixa branca.

 
Para quem é faixa preta: Yudansha-gi.
É composto por 4 peças:

Casaco branco // calça branca // faixa // Hakama (uma calça tão larga que parece com uma saia)

Já existem revendas especializadas em roupa/uniforme específico para Aikido.

Dica de Santos Sensei sobre Hakama: "As mais adequadas ao nosso clima e funcionalidade são as de tecido sintético (tectron, etc.). As de algodão e índigo amassam demais."

Como são as aulas de Aikido

Um ponto muito importante: o treinamento do AIKIDO é cooperativo e não competitivo.

As técnicas são aprendidas através do treino com um parceiro, ele não é um adversário. É preciso sempre adequar a velocidade, a energia e a potência da técnica às habilidades do parceiro, que está lhe emprestando o corpo para você praticar.

A prática do AIKIDO começa no momento da entrada no dojo.

Os praticantes devem observar a etiqueta o tempo todo. É adequado fazer a reverência ao entrar e sair do dojo/academia e ao entrar e sair do tatame.

Cerca de 5 minutos antes do início da aula, os praticantes devem alinhar-se e sentar-se, quietos, em seiza (ajoelhados).

A única maneira de progredir no AIKIDO é através do treinamento regular e contínuo. A frequência não é obrigatória, mas, para haver evolução no AIKIDO, é preciso praticar pelo menos duas vezes por semana. Além disso, já que o AIKIDO propicia meios de cultivar a autodisciplina, esta começa com a frequência regular.

O seu treinamento é de sua própria responsabilidade. Ninguém vai pegá-lo (a) pela mão e levá-lo (a) à proficiência no AIKIDO. Não é responsabilidade do instrutor ou de qualquer companheiro graduado verificar se você está aprendendo. Faz parte do treinamento aprender a efetivamente observar. Portanto, antes de pedir ajuda, tente aprender a técnica por si mesmo (a), por meio da observação dos companheiros.

O treinamento no AIKIDO engloba mais do que técnicas. Inclui a observação e modificação dos padrões físicos e psicológicos de pensamento e comportamento. O comprometimento de cada um em aprender, em se auto aperfeiçoar faz parte da essência do treinamento.

Em especial, deve-se prestar atenção à maneira com que se reage aos variados tipos de circunstâncias. Assim, o cultivo da (auto) consciência é parte do treinamento.

O treinamento pode, às vezes, ser frustrante.

Aprender a lidar com essa frustração também é parte do AIKIDO. Os praticantes precisam se auto-observar para determinar a raiz de sua frustração e insatisfação com seu progresso. A causa pode ser uma tendência de se comparar demais com os outros, colegas, o que não deixa de ser um tipo de competição. E bom admirar o talento do próximo e esforçar-se para igualá-lo, mas é necessário cuidado para que as comparações não suscitem ressentimentos ou autocríticas exageradas.

Se você se sentir muito cansado (a) ou se machucar, pode, após fazer uma reverência, parar temporariamente o seu o treino, retornando quando sentir-se capacitado. Se for necessário deixar o tatame, peça permissão ao instrutor.

Etiqueta e Postura durante o treino de Aikido

A observação adequada da etiqueta é tão importante no treinamento quanto o aprendizado das técnicas. As seguintes regras devem ser cuidadosamente obedecidas:

  • Ao entrar no dojo (lugar do treino), cumprimente com leve inclinar do corpo, braços estendidos e juntos ao corpo, virado para o lugar principal (kamizá). Geralmente, o kamizá é onde está o retrato do mestre. Depois de cumprimentar sente-se, em seizá, no lugar apropriado (lei da ordem) e aguarde o início da aula. Procure chegar cedo para melhor conhecer o (a)s outro (a)s colegas.
  • Chegar atrasado (a) incomoda a seus companheiros. Assim, procure chegar cinco a dez minutos antes da aula começar. Na eventualidade de chegar após o início da aula, cumprimente na direção do kamizá, cumprimente seu instrutor e inicie seu aquecimento. Isso mostra respeito pelos seus colegas, por seu instrutor e pelo O-Sensei e sua arte.
  • Quando estiver descansando ou esperando o início da aula, sente-se corretamente com as pernas cruzadas ou ajoelhado (seizá) com concentração e educação. Não se apoie nas paredes nem se sente com as pernas estendidas (sente-se em seizá ou com as pernas cruzadas). Lembre-se de que você não está na praia.
  • Evite sentar-se no tatame de costas para o quadro do O-Sensei ou para o kamizá.
  • Para iniciar a aula o instrutor fará duas saudações: a primeira reverência será ao mestre fundador e em respeito aos nossos antepassados; a segunda será entre o instrutor e os alunos. Nesse momento pronuncia-se (em conjunto) a expressão "ONEGAI SHIMASU" que, neste caso, significa “por obséquio, por favor,”. O aikidoístas pode praticar outras artes marciais, desde que não o faça dentro do dojo durante a aula de AIKIDO. Também não é permitido falar mal de qualquer outra arte marcial.
  • O praticante que usa hakamá (calça preta) ao entrar no dojo cumprimentará de maneira mais tradicional, em seizá, voltado para o kamizá. Depois se encaminhará para o seu devido lugar onde aguardará o início do treino ou fará seu próprio aquecimento.
  • O uniforme para a prática do AIKIDO é o Keiko-gi (quimono): calça e túnica brancas, presas por uma faixa. Para o aluno graduado, fica a seu critério usar a faixa branca ou a de cor equivalente a seu grau (kyu). Pergunte aos praticantes mais antigos como amarrar a faixa. As mulheres deverão usar uma camiseta ou "top" por baixo do casaco do quimono.
  • Se você tem o privilégio de usar hakamá, procure aprender como dobrar, vestir e cuidar dele. Peça ajuda aos alunos mais antigos.
  • Você poderá colocar seu nome no seu casaco bem como na calça do Keiko-gi. Isso ajuda seus colegas a lembrarem do seu nome, além de evitar a indesejável troca de pertences pessoais.
  • Ao entrar no tatame, retire jóias, relógios, brincos, travessas, correntes, anéis, etc. É para sua segurança e a dos seus colegas de treino. Não troque de roupa no tatame, vá ao local apropriado para isso.
  • Se tiver que deixar o tatame ou o dojo durante a aula, aproxime-se do instrutor e peça permissão.
  • A conversa durante as aulas deve ser mínima e restrita a um único tópico: AIKIDO.
  • Execute os comandos do instrutor imediatamente. Não deixe o resto da classe esperando por você.
  • Não se envolva em lutas ou demonstrações desnecessárias de força durante a aula.
  • Pague suas contribuições em dia. Se, por algum motivo, você não puder fazê-lo, explique-se para a pessoa encarregada do recebimento.
  • Lembre-se de que você está treinando para aprender, não apenas para satisfazer seu ego. É aconselhável adotar uma postura receptiva e humilde, porém, não bajuladora.

Comportamento

  • Não discuta sobre a maneira de execução da técnica apresentada pelo instrutor, observe e pratique.
  • Não crie polêmicas. É profundamente deselegante e perda de tempo fazer observações do tipo “o que aconteceria se...” ou “se o colega fizer assim...” ou “Fulano está fazendo diferente”.
  • O importante é treinar contra-ataques básicos, para desenvolver sua atenção, aprimorar-se e sentir a direção da energia KI, seja decorrente de ataques físicos ou aquela oriunda do campo extrassensorial.
  • Se você é graduado, deve orientar os iniciantes. Ensinar também faz parte do processo de treinamento. Os mais antigos (sempai) têm o dever de guiar e orientar os mais novos (kohai).
  • Geralmente uma técnica compreende os movimentos de omotê (positivo) e urá (negativo); desvio pela frente e por trás (yang e yin). Durante a execução da técnica (conjunto completo) fique concentrado nos movimentos do colega, na distância entre os dois e continue atento, mesmo após a execução da técnica.
  • Quando executar o movimento, procure relembrar como Kishomaru, Kobayashi, Yamada ou o instrutor mais graduado realiza a técnica. Mentalize! Imagine!
  • Cumprimente seu colega antes e depois da execução do movimento, afinal é graças a ele que o treino pode existir.
  • Dê e peça “opinião”, isto é, manifeste sua satisfação verbalmente quando sentir que uma técnica for bem aplicada, como também informe quando sentir que foi mal executada. Mas não o faça desnecessariamente.
  • Lembre-se de que você está treinando para aprender, não apenas para satisfazer seu ego. É aconselhável adotar uma postura receptiva e humilde (porém não bajuladora).
  • Não exagere nos golpes e movimentos para não ferir os colegas de treino. Ninguém entra na aula de AIKIDO para ser saco de pancada dos outros.
  • O treino mais vigoroso é reservado para os mais graduados. Tenha paciência, aguarde, seu dia chegará. Se estiver com dificuldade quanto a uma técnica, não grite pela ajuda do instrutor. Tente primeiro, observar os outros. Não conseguindo aprender, aproxime-se do instrutor e peça o seu auxílio.
  • É deselegante e grosseiro você chamar o instrutor e pedir para ele fazer a técnica para você. Primeiro você deve mostrar como entendeu e depois perguntar se está correto.

Reverências

Muitas pessoas perguntam sobre o hábito da reverência no AIKIDO, associando-o a algum significado religioso. Não há nenhuma ligação.

Na cultura ocidental, costuma-se apertar as mãos para cumprimentar alguém, dizer “por favor,” ao fazer uma solicitação e “obrigado” para expressar gratidão.

Na cultura japonesa, a reverência atende a todos esses fins.

A incorporação desse aspecto da cultura japonesa na prática do AIKIDO serve a vários propósitos:

  • Induz à familiaridade com a cultura japonesa, que é importante para aqueles que desejarem praticar AIKIDO no Japão, além de ampliar os horizontes culturais; a reverência é uma manifestação de respeito. Dessa forma, expressa abertura mental e desejo de aprender do professor e de seus colegas;
  • Reverenciar o parceiro ajuda a lembrar de que ele é uma pessoa, não um boneco. Treine sempre de acordo com as habilidades de seu parceiro;
  • A reverência inicial, que indica o começo da prática, é muito similar ao “pronto, começar” falado no início de um exame.

No decorrer da aula, deve-se comportar segundo certos padrões. Uma aula de AIKIDO é um mundo à parte. Enquanto estiver nesse “mundo”, sua atenção deve estar focalizada na prática do AIKIDO. A reverência, ao final, é como um sinal para o retorno ao “mundo normal”.

Ao reverenciar, tanto para o instrutor, ao começar a prática, quanto para o parceiro, ao começar uma técnica, é adequado dizer “onegai shimasu” (literalmente: Peço um favor).

Ao reverenciar para o instrutor, no final da aula, é adequado dizer “doomo arigatoo gozaimashitá” (muito obrigado).

Livro de Presença / Quadro de Avisos

O dojo possui livro de presença ou lista de chamada.

Esse controle é necessário para efeito de controlar o pré-requisito de número mínimo de aulas para sua promoção.

Se você visitar outra academia, participar de seminários e de gashukus, comunique o fato ao seu instrutor para ele anotar no livro de controle.

Habitue-se a consultar o quadro de avisos de seu dojo.

Ele fornece informações importantes sobre as atividades do grupo de AIKIDO, tais como datas de exames, ocorrência de seminários, viagens técnicas, notas pessoais, etc.

Se você é especialista em algum tipo de serviço e gostaria de divulgar isso, peça autorização ao instrutor para colocar seu cartão de visita no quadro de aviso.

Limpeza

Descubra como você pode ajudar ou contribuir em alguma tarefa. Ajude a manter o dojo limpo.

Depois de chegar ao dojo e vestir seu Keiko-gi procure olhar em volta para verificar se o dojo não está precisando ser limpo, se as prateleiras precisam ser arrumadas, se é necessário regar as plantas, se o kamizá precisa ser limpo, se o dojo precisa ser varrido, se o lixo precisa ser coletado, etc.

No mínimo, não ande descalço em torno do tatame para depois pisar nele; use chinelos e tire-os, deixando na beira do tatame, antes de entrar.

É comum nos mosteiros e templos os praticantes ajudarem varrendo e limpando o tatame. Demonstra espírito comunitário e interesse por limpeza. Afinal, você é um ser humano limpo.

Não é nenhuma humilhação tomar a iniciativa da limpeza. Higiene gera saúde.

Todos os praticantes são responsáveis por garantir que pessoa alguma ande calçado ou com pés sujos no tatame.

Se você é aluno graduado, procure manter-se com boa aparência e uniforme limpo.

Você é um exemplo para os outros colegas. Isso contribui, também, para sua auto-estemas. Portanto, nada de uniforme sujo ou esfarrapado.

Por questão de sua segurança e dos colegas mantenha suas unhas cortadas e aparadas.

É questão de higiene também! Se for necessário, lave seus pés e mãos antes de pisar no tatame.

Visitando outros dojos e Eventos

Atente para o fato que outros dojos podem ter algumas regras particulares de comportamento. Portanto: “Em Roma, faça como os romanos”.

Mantenha a mente aberta e receba a instrução dada com sincera gratidão. Lembre-se de que você representa sua academia e seu instrutor. Assim, aja com diplomacia e urbanidade.

Eventos: Seminários, Treino mensal e Gashukus

Como parte de seu treinamento no AIKIDO, procure participar de Seminários, do Treino mensal e dos Gashukus. Consulte o nosso calendário de eventos. Seu progresso será muito maior, fruto da participação nesses eventos.

Quando um evento desse for programado, ofereça-se como voluntário (a) para ajudar na preparação da programação, do dojo, do ambiente, na limpeza, etc. Sua ajuda será de grande valor.

Para os alunos de 1º kyu (marrom) e de faixa preta, a presença em Seminários, Gashukus e Treino mensal é decisiva para efeito de promoção de faixa. A ausência de graduados nesses eventos é anotada.

Geralmente em Seminários e/ou Gashukus não é necessário esperar permissão para entrar no tatame e participar da aula porque isso tira a atenção do professor e dos outros alunos. Cumprimente, entre e fique logo em seizá.

Treino com armas

Alguns dojos têm aulas separadas dedicadas quase exclusivamente ao treino com Jô (bastão), Bokken (espada) e Tantô (faca), as três principais armas usadas no AIKIDO.

Entretanto, uma vez que o objetivo primordial do AIKIDO não é aprender o uso de armas, aconselha-se aos praticantes a assistirem duas aulas de taijitsu (treinos sem armas) por semana.

Várias razões justificam o treino com armas:

  • muitos dos movimentos do AIKIDO são derivados de artes de armas clássicas;
  • ajuda a desenvolver adequadamente o Maai (distância) entre praticantes;
  • muitas técnicas no AIKIDO envolvem defesas contra armas. A fim de garantir a segurança no treino, é importante que os alunos saibam atacar com elas;
  • muitos princípios importantes do AIKIDO são mais facilmente demonstrados por meio do uso de armas;
  • fazer katás (conjunto de técnicas preestabelecidas) com armas facilita a compreensão dos princípios gerais dos movimentos do AIKIDO;
  • as armas acrescentam elemento de intensidade à prática, principalmente quando se treina defesas contra elas;
  • dá ao praticante oportunidade de desenvolver correspondência e sensibilidade aos movimentos e ações de terceiros, dentro de um formato altamente estruturado;
  • é excelente para o aprendizado dos princípios que regem as linhas de ataque e defesa. Todas as técnicas no AIKIDO começam com o defensor saindo da linha de ataque, para então criar outra linha (geralmente não reta) para a aplicação de uma técnica.

Além das razões acima, em exames, a partir de determinados graus, o praticante será avaliado no manejo de bastão e espada, bem como na defesa contra ataques de faca.

O Iaido, o Jodo, o Kenjutsu, etc. constituem artes completamente à parte do Aikido.