Aikido no Planalto Central

Em 28 de Fevereiro de 1972, trazido pelo prof. J.M.R.S. Martins, faixa preta 2o. Dan do prof. Nakatani, começa a saga do Aikido no Planalto Central, onde até 1975, ficaria supervisionado pelo Prof. Nakatani que ministrava seminários e os exames.

O primeiro local foi no dojo da AABB, na beira do lago Paranoá, existindo somente um horário as 6 horas da manha.

Ingressam no Aikido brasiliense, Rui Matos, Roberto Crema, J.F. Santos, Antonio Tibery, Jose Ribamar Nunes. Praticava também em Brasília, o almirante Paraguassu, depois adido naval em Tóquio que iria ter importante atuação burocrática na vinda do prof. Shikanai para o Brasil.

Ao final de 1975, a função de supervisão do grupo de Aikido de Brasília passa a ser feita pelo prof. Shikanai. Faz-se frisar que a supervisão do prof. Shikanai deu impulso no Aikido de Brasília, devido a sua constante presença ministrando aulas e exames diferentemente das vindas do prof. Nakatani, condicionadas à sua agenda empresarial.

Assim, em 1978, são formados, pelo Mestre Shikanai, os dois primeiros faixas pretas de Brasília, Antonio Tibery e J. F. Santos. Estes dois praticantes, mesmo antes se graduarem, já possuíam um dojo na CLN 312, Asa Norte, com a autorização do Mestre e ministravam aulas de Aikido, ainda faixas roxas.

No dojo da Asa Norte, ingressam Nelson Takayanagi, Iliana Takayanagi, Jackson Oliveira, Jorge Honda, Jose Ribamar Nunes, Jose Mauricio e outros. Mais tarde, em outros dojos, ao longo do tempo, formam-se os seguintes faixas pretas, Alexandre Tibery, Sidney Silva, Mário Coutinho, Aginaldo Andrade, Edison Nascimento, Miguel Lima, Arthur, Cilmo Oliveira, Adolpho Cyro, Kawano, João Alfredo, André Boechat, Jadir, Anderson e outros.

Faz-se necessário citar a entrada, em 1984, de uma pessoa que impulsionaria, tecnicamente e administrativamente, o Aikido de Brasília, o faixa preta Mario Coutinho, formado em Educação Física, consolida o núcleo de Aikido da UnB, iniciado pela profa. faixa preta Vera Pimenta de Moura. Mário Coutinho, dinâmico, administrador incansável coordena a parte organizacional do Aikido de Brasília.

Em 1988, inspirado em suas concepções, em divergência com o prof. Shikanai, Tibery cria sua própria arte marcial, denominada AMI ou AMIIUTSU e se desliga do prof. Shikanai.

Posteriormente, o prof. Santos se afasta do prof. Shikanai, porém, continuando a praticar Aikido da Aikikai, filiado à Brasil Aikikai.

Atualmente, existem cerca de 20 dojos de aikido em Brasília e Taguatinga, filiados ao Brasil Aikikai, ao Shikanai Dojos, à Federação Latino Americana de Aikido, e à Federação Brasileira de Aikido (FEBRAI).

J.F.Santos

Iniciou Aikido em março de 1973, em Brasília, com o prof. Martins, sob a supervisão de Teruo Nakatani Sensei.

Em 1993, o prof. Santos leva o Aikido para Goiânia e, com apoio logístico de Ivan Reis, introduz e fomenta o Aikido em Goiânia, onde se formam os faixas pretas Ivan Reis, Fernando Rassi Nader, Gustavo Santos, Luiz Flavio e Maria Ramos.

Ainda na corrente de Brasília, o prof. Santos leva o Aikido até Belém do Pará, onde após cinco anos forma-se, em Belém, o primeiro aikidoka faixa preta paraense, o sr. Marcelo Marques.

J.F. Santos – Graduado em Métodos Quantitativos(UFRJ), mestrado em administração (COPEAD-UFRJ) é formando em Direito pela Uniceub – Brasília. É aposentado do Banco Brasil, pratica Iaido, fez dois estágios de Aikido no Japão, no Kobayashi Dojo, é faixa preta 5o. Dan Aikido – Aikikai.